Palavra de origem Tupi-guarani (Tara-cuaém), quer dizer: “Formigueiro ou Panela de Formiga”. Em 1665, era uma Propriedade de cinco léguas encravadas na Região então conhecida sob o nome de Mattas do Brasil, em terras compradas por Diogo Coelho Romeiro à Gregório de Mattos Pereira. Habitada inicialmente por indígenas, o local, onde se situa Tracunhaém, era chamado de Tapirurama. Tendo seu “Ato de Retificação”, lavrado em 20 de março de 1665. Local este onde era erguida uma Capela sob a invocação de Santo Antônio começa então, a formar-se a povoação de Tracunhaém. 

Em 1742, foi elevada à categoria de freguesia. Em meados do século XVIII a freguesia de Tracunhaém englobava Nazaré da Mata, Lagoa Seca e Vicência. Sendo criada a Comarca de Nazaré da Mata em 1839, houve como conseqüência o desmembramento também de lagoa Seca em 1879 e Vicência em 1880.

Em 1928, era uma vila de pouco mais de 200 casas em ruínas e metidas em denso matagal conhecida por Vila Ana.

Na localidade a arte do barro existe como uma tradição que vem dos índios, segundo a tradição oral, foram os tupis que modelaram os primeiros cachimbos de barro.

O distrito de Tracunhaém foi criado pela lei municipal de nº 05, datada de 30 de novembro de 1892. Integrava o território do Município de Nazaré (atualmente Nazaré da Mata). Foi também criado por lei municipal de nº 445, de 21 de novembro de 1929.

Foi restaurada pelo decreto municipal de nº 05, datado em 07 de novembro de 1930.

A lei estadual de nº 4.951, de 20 de dezembro de 1963, criou o município de Tracunhaém.

Anualmente, no dia 20 de dezembro, Tracunhaém comemora sua Emancipação política.

 

FÉ RELIGIOSA

Freguesia instituída em 1690 pelo Bispo Diocesano D. Matias de Figueiredo de Melo, em território desmembrado de São Lourenço da Mata, sendo situado em frente ao engenho Pedregulho, ágüem da margem do Rio Tracunhaém, que lhe serve de limites. Depois foi a sede da paróquia transferida para a nascente povoação de Tracunhaém, onde foi erguida a primeira capela do povoado, sob a invocação de Santo Antônio.

Existe ainda no município a Igreja de Nossa Senhora do Rosário e a capela de São Sebastião, os católicos podem contar ainda com as Capelas na Zona Rural onde são celebradas missas uma vez por mês.

Temos também Igrejas protestantes, entre elas: Assembléia de Deus (matriz) e 02 filiais na Zona Rural, Assembléia da Madureira, Igreja Batista Central, 1ª Igreja Batista, o Salão do Reino das Testemunhas de Jeová.

 

DISTRITO JUDICIAL

Tracunhaém pertencia ao Município de Nazaré da Mata e dependia das freguesias de Carpina, Nazaré da Mata e Vicência, dos quais foi desmembrado ao adquirir freguesia própria.

Tracunhaém passou a categoria de cidade no ano de 1963, na administração do Governador do Estado Dr. Miguel Arraes de Alencar, sob a lei estadual de nº 4.951, de 20 de dezembro de 1963.

 

ORIGEM DO ARTESANATO

Vários anos atrás, Tracunhaém passa por um processo de transformação, na medida em que os artesãos iniciaram a produção de cerâmica figurativa. Dessa nova forma de expressão destacou-se a Família Vieira (Lídia, Toinha, José Antônio, Regina), Severino, e outros(a)s Artesã(o)s como: Antônia Leão, Severina Batista, Baé, Nina, etc….

E hoje, há aqueles que combinam o utilitário e o decorativo em moringas, jarros, abajures, cinzeiros ou em formas diversas inspirados na fauna e na flora.